Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Voo Fatal

Pura fatalidade.
Acreditar no sucesso é estar mais perto dele.
Mas ainda é incerto.
Acreditar no amor...

Se a indecisão me corrói, é porque me acomodo.
Se o Velvet Underground mexe comigo,
é porque ainda tenho o ímpeto.
Se a Maria Bethânia me comove cantando "Um Índio" num show,
é porque ainda tenho o instinto.

Se a arte me atrai, por que então não vivê-la?
Extremamente.
Intensamente.
Em meu sangue, em meu corpo.
O tempo todo.
Em cada olhar, em cada pensamento.
Instante a instante.
Carnalmente.
Passionalmente.
Entrega total de mim mesmo.

Que seria a arte minha vida, fatalmente seria.
Eu sabia.

Mas imaturidade é um veneno que se bebe muito cedo.
E quando a cura vem, as sequelas já podem ser definitivas.

Mas sei que posso me salvar.
A qualquer momento.
Uma loucura, um passo ao desconhecido!
Um salto do mais alto seguro mundinho.
Um salto e estarei a voar.
Os céus e as estrelas, Peter Pan e meus desejos.
Asas imaginárias, tão livres quanto pensamentos.
A direção... escolho na hora, onde houver mais do que quero.

Um voo fatal.
Puramente fatalidade.

Ouço a voz do John e do Paul e me descubro
e tenho certeza do que quero pra minha vida.
Sei que tenho de voar.
Fatalmente.


(Júlio B.)
www.000webhost.com