Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Quando Um Poeta Chora

Melodia triste que acompanha os sentimentos.
Olhos que revelam o que sempre foi a única razão.
O passado não foi tão legal assim, mas já não importa.
Só que ainda choro; por dentro, ainda sangro.

Hoje, pra variar, é meu aniversário.
Pra variar, eu estou aqui sozinho.
O frio machuca os ossos.
A poesia é só um refúgio que nem sequer esquenta.

Escrevo em outras palavras a inveja que sinto
ao ver certa mão límpida acalentar o dorso
deitado no campo verdejante e molhado pelo orvalho.
Escrevo sobre bons tempos para incertezas no ar.

Escrevo e não há lágrimas, o choro é aqui dentro.
Eu quis tomar as rédeas dos meus instintos,
mas apenas me afastei do que sempre havia sido claro:
as coisas jamais seriam fáceis pra mim.

Choro por cair na real, por ainda ser fraco.
Choro porque nem sequer consigo escrever minha dor.
Três palavras e eu diria tudo, mas não consigo escrevê-las.
Choro porque fico mais velho, porque estou sozinho.

Choro porque quando um poeta chora, a poesia é triste.


(Júlio B.)
www.000webhost.com