Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Balde de Água Quente

Tem coisa que a gente simplesmente sente,
não explica, não entende, e nem tente,
foge do controle da gente.
Sentimento é pássaro rebelde, instransigente...
Devemos matá-lo agora, ou tentar deixá-lo contente?
Não há prisão, em minhas mãos não há corrente,
há apenas um responsável eternamente
por aquilo que um dia fora cativado.
O que é que a gente faz quando o leite foi derramado?
Desiste prematuramente?
Ou a gente segue em frente?
Se foi um balde de água fria o inconveniente,
deixe-me usar minhas duas mãos para torná-lo um banho quente.


(Júlio B.)
www.000webhost.com