Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


A Vida, em Sua Voluptuosidade

A vida, em sua voluptuosidade,
é saborosa, e ardilosa,
é engenho, é empenho, e coragem,
é mar aberto, e revolto,
é vento forte, perigo solto.

A censura, em sua mediocridade,
é insegura covardia, limitação,
é apatia, castração.

O homem se gaba de ter saído da selva,
de não fazer suas necessidades na relva,
mas ainda as faz.
Inventou a justiça humana pra se proteger,
pra castigar os crimes que vê,
e, para os que não vê,
inventou a justiça divina,
que tem olho onisciente e malha fina,
que aplicará os devidos castigos após a vida,
e não apenas aos crimes, mas a tudo que é pecado,
ou assim considerado por aqueles que nela acreditam.

E são tantos os que acreditam,
tantos que abdicam da vida,
por medo do castigo.

Mas não eu.

A minha vida, em sua voluptuosidade,
me foi de árduo engenho,
me custou tamanho empenho
que levou três decadas
para que eu conseguisse tê-la.

Agora, eu vou vivê-la.


(Júlio B.)
www.000webhost.com