Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


De um Lado o Império, do Outro o Príncipe

Teria Maquiavel suposto que algum príncipe seria tão perfeito?
E eu sinto que ao lado dele eu posso ter tudo,
provando profundamente do que até hoje só li em livros
e ouvi numas poucas canções.

Ao atravessar o Império à galope,
eu olhei o meu atraso no relógio,
e não faria a menor diferença:
quando se está diante de algo tão nobre,
tão puro, tão belo, tão doce,
o tempo finalmente deixa de ser um peso,
e só ainda existe como lamentação
da contagem regressiva pra hora de ir embora.

E quando estávamos juntos,
e quando eu olhava pro lado e o via,
ah, eu não poderia ser mais feliz nessa vida!

Mas tínhamos de ir embora,
e no caminho de volta, cruzando novamente o Império,
eu olhava pro lado e dava um aperto no peito
ver o banco do passageiro vazio.

Eu cheirava a minha mão então,
que ainda tinha o cheiro dos seus cabelos,
e eu quase podia ver o seu sorriso
aparecer diante de mim, brilhante.


(Júlio B.)
www.000webhost.com