Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Flâmulas da Madrugada

Suma o tempo que você precisar,
e apareça se algum dia lhe for conveniente,
tente, ou deixe pra lá.
O que você faz é coisa sua,
a lua nem dá notícia,
sua indiferença fictícia,
meu amigo, eu realmente não ligo.

Mas, se na tremulação inesperada
de alguma bandeira da madrugada,
você aparecer de novo,
saiba que pode até me chamar de louco,
por achar que enxerga o que eu vejo,
mas nunca, nunca,
nunca tente controlar o meu desejo.


(Júlio B.)
www.000webhost.com