Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Triste

Esqueça os meios, esqueça o fim,
esqueça tudo o que nos desvirtua.
Esqueça a vida, esqueça os sonhos,
esqueça tudo o que desejamos.

Eu te vejo e te contemplo,
mas não importa o que eu sinta por você,
por mais puro que seja,
nada tornará os meus desejos permitidos.

Desejos, desejos proibidos.
E as coisas nunca me vem como desejo.
Triste, por você ser proibido pra mim, triste.
Triste.

Esqueça os meios, esqueça o fim,
esqueça-se de mim.
Esqueça as lágrimas, esqueça as lástimas,
esqueça o escuro e a congelante solidão.

Esqueça o medo, esqueça as chances,
esqueça o brilho em tudo o que vimos.
Esqueça a dúvida, esqueça os nãos,
esqueça de lembrar o que vivemos.

Ou lembre de mim só de vez em quando,
mesmo que eu diga pra esquecer pra sempre.
Mas saiba que morre uma parte em mim toda vez que lembro
que nunca senti, com o meu corpo, o sabor do teu.

Por isso esqueça os meios, esqueça o fim,
esqueça-se de mim.
Triste, mesmo nunca tendo tido chance, mas triste.
Triste.

E o tempo continua passando.
E o tempo continua nos atropelando.
Esqueça o tempo, esqueça as horas,
esqueça tudo o que nos mata.

Esqueça o que é ruim e viva para o que valer a pena.
Esqueça-se de mim, pois eu estou tentando esquecer você.
Triste, por ter perdido você, vivo tão triste.
Triste.

Seu corpo e seu brilho me trazem desejos,
desejos, desejos proibidos,
seu jeito e seu brilho me trazem vontades
e me fazem lembrar de que nunca os tive.

Então esqueça tudo, esqueça a dor,
esqueça-se de mim.
Esqueça, por favor.
Esqueça que, platônico, alguém te desejou.


(Júlio B.)
www.000webhost.com