Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Onde

E eu que esperava ser feliz...
Ah, que pobre romântico desesperado e ingênuo eu sou!
Já era hora de ter entendido que a felicidade não é para mim.
Nunca foi, e eu não consigo mais ver nenhuma luz no horizonte.
O momento que eu esperava ser o mais feliz da minha vida,
foi, no fim das contas, o pior tormento que eu já provei,
o veneno mais amargo, o golpe que me pulverizou,
e agora não tenho forças nem pra recolher os meus pedaços.
Ainda não sei como, mas tenho de continuar, o que mais me resta?
Dizem que devo procurar ajuda, que devo mudar, me adaptar...
"Ninguém, em lugar algum, sabe nada sobre mim e todos os meus sonhos!"
a vítima na história era eu, apesar do tratamento que recebi.
Puxaram o meu tapete, destruíram meus sonhos, me chamaram de monstro,
mas eu era o romântico, e nunca agi de má fé.
Achei que a minha vez de ser feliz tinha chegado,
que o mundo havia deixado de ser cruel comigo e me dado uma chance.
Ah, ingênuo menino do interior que sonha demais!
Quando perguntei à outra parte interessada se queria me encontrar,
recebi embalada num sorriso a resposta:
- Onde?
Eu não consegui me segurar,
desabei a chorar só de pensar que poderia dar certo.
Pensei que ia alcançar a felicidade que sempre desejei...
Foram os meus momentos mais felizes.
Os momentos mais felizes que precedem a mais cruel das quedas.
Pessoas como eu não podem gozar de felicidade,
eu sabia disso, então não devia ter acreditado...
É isso mesmo, o mundo jamais me permitirá ser feliz!
Como eu pude ser tão ingênuo e imprudente?
Como eu pude acreditar em uma promessa tão absurda!
Que ironia: o ingênuo da história fui eu!
Condenando por ser a vítima do que me acusam!
E o papel de vítima é tão deprimente... queria explodir tudo.
Pelo menos, aprendi que não sou uma exceção!
Percebo agora que aquele sorriso era representação, e me feriu.
Entendo que acreditar naquele "onde" foi como uma sentença de morte.
Torturo-me por não ter percebido isso tudo antes,
que o que me havia acendido a chama da esperança era apenas cilada.
E eu caí...
E doeu...
Eu quasi morri...
E por quê?
Por quê?
Eu nunca quis nenhum mal pra ninguém, queria apenas um amor.
É o que mais quero.
"Quero ter alguém com quem conversar,
alguém que depois não use o que eu disse contra mim."
ainda quero, mas vou demorar pra esquecer essa dor...
O ferimento foi mais profundo do que qualquer consolo pode curar!
Eu fui traído por quem estava exatamente
onde eu depositava todas as minhas esperanças...
Eu esqueci que já tinha ouvido alguém dizer que
"Ter esperança é hipocrisia, a felicidade é uma mentira"
e esqueci disso, e agora estou acabado.
O meu pequeno solitário coração está dilacerado.
Eu arrisquei demais o que não tinha preço.
Não sei como vou sair dessa.
Até diante do tridente do demônio eu bolei uma saída, mas agora não consigo.
Minhas estruturas racional e emocional desmoronaram.
"Parecia que de tanto acreditar em tudo o que achavávamos tão certo,
teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais..."
até que chegou o momento em que percebi que não era desejo, era traição
e o grandioso navio que trazia o que eu sentia naufragou.
Morremos todos afogados, sem bote-salva vidas, sem chance,
com a consciência de que somos muito pouco,
que nossas vidas valem menos que puxar um gatilho ou apontar um dedo.
Não, não tem saída: a felicidade não é pra mim.
E nem tem volta: eu sou o que sinto.
E sinto que um dia eu serei o mar e não o náufrago.
Um dia eu serei o sorriso e não a lágrima.
Sim, me derrubaram,
mas o que ninguém viu é que só me deram o empurrão final pra maturidade.
"Nada mais vai me ferir, é que já me acostumei
com a estrada errada que eu segui e com a minha própria lei."

e onde estiver o meu desejo,
ali também estará o meu coração.


(Júlio B.)
www.000webhost.com