Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Carnaval, Carnaval

Arrastaram um menino preso no carro pelo cinto de segurança,
uma criança,
cruelmente, no asfalto, até a morte, até além...
Mas tudo bem, é carnaval!

Jogaram uma senhora no poço, depois de surrada e esquartejada,
de ter sido assassinada friamente,
porque ela quis defender a esposa de um monstro que acabou sendo seu assassino.
Eu tive náusea quando me contaram,
mas agora nem lembram, é carnaval.

Eu liguei a TV, e tinha uma mulher semi-nua rebolando.
Eu mudei de canal e não foi diferente.
Num outro, tinha um pastor pregando:
era o carnaval do senhor.
Adapte-se aos tempos modernos, baby, é carnaval!

Eu tinha minha vida pra dar um jeito.
Tanto plano a ser refeito,
tenho no peito um vazio,
arredio.
Mas nem estou esquentando a cabeça.
Há tempos não esquento com muita coisa.
A morte não me assusta mais.
O carnaval não me irrita tanto quanto antes.
Eu só queria um abraço agora.
E esquecer o dia de hoje.
Só isso.


(Júlio B.)
www.000webhost.com