Início | Versos | Prosas | Músicas | Sobre Mim


Átomos Assonantes

Abuso da arte dos símbolos.
Anoto as asas das simetrias.
Alço lá no alto os sonhos.
Afasto as aflições sombrias.

Cada átomo ressoa ardente
apenas dele aportar ao lado.
Abala atoa a minha atenção,
alarma na hora o meu agrado.

Afeição ávida por um afago,
que arrisca afinal acreditar
em alegrias, antigas e atuais,
que altivam ou podem arruinar.

Há o amor de ser atirado ao alvo?
Há de ser de si mesmo arremessado?
Há de ser anunciado pelo apaixonado?
Há o amor de deixar de ser abstrato?


(Júlio B.)
www.000webhost.com